• Fernando Giovanella

Tubete de vidro x tubete de plástico

Atualizado: 12 de Jul de 2018


O tubete de plástico apresenta inúmeras desvantagens em relação ao tubete de vidro. Ao injetar a solução anestésica com um tubete de plástico o êmbolo não desliza suavemente , fazendo com que a solução seja interrompida ou injetada bruscamente, causando dor no momento da administração. Já com o tubete de vidro o êmbolo desliza suavemente e é possível depositar a solução em velocidade constante, o que é muito mais confortável para o paciente.


Como o plástico tem certa resiliência ao sofrer pressões maiores durante certas injeções (como infiltração no palato), esta resiliência algumas vezes promove um vazamento da solução anestésica (geralmente o paciente relata um gosto amargo). Isso é mais incomum quando se usa tubetes de vidro.


O vidro tende a conservar melhor as soluções do que as embalagens plásticas, tanto que os fabricantes necessitam adicionar em soluções comercializadads em tubete de plástico um conservante com efeito bacteriostático, o controverso metilparabeno.


Nos tubetes de plástico as informações são impressas diretamente no plástico, porém muitas vezes a qualidade da impressão é ruim e podemos ter dificuldade de ler corretamente as informações.


Já nos tubetes de vidro existe uma película adesiva que ao mesmo tempo serve para afixar as  informações no vidro quanto para proteger o profissional e paciente em caso de estilhaçamento do tubete no momento de injeção (complicação rara se empregada a técnica correta). Além de que, em caso de injeção intra-vasal, a transperência dos tubetes de vidro em relação ao tubete de plástico facilita a pronta identificação de sangue no seu interior.


Entenda mais no vídeo abaixo.


1,420 visualizações