• Fernando Giovanella

Cálculo de dose máxima de anestésicos locais

Atualizado: 12 de Jul de 2018



O cálculo de dose máxima de anestésicos locais é algo que se aprende na graduação. É bem provável que a maioria já tenha esquecido como fazer o cálculo, mesmo antes de se formar. O que podemos constatar é que a imensa maioria dos dentistas não tem a mínima idéia de como se faz o cálculo de dose máxima e mesmo assim a taxa de mortalidade com anestésicos locais é muito baixa. Isso acontece por dois motivos:


  1. A margem de segurança é grande;

  2. A maioria das anestesias locais administradas objetivam a anestesia de uma área limitada de atuação e em pacientes não pediátricos.


Isto significa que existem muitas situações nas quais fazer o cálculo de dose máxima é perda de tempo. Por exemplo: você que irá anestesia o elemento 14 para realizar uma restauração profunda em um paciente de 18 anos. Qual a chance real de você se aproximar da dose máxima? praticamente nula. Não ha necessidade de fazer o cálculo.


Agora, se esse mesmo paciente for submetido a exodontia de 4 terceiros molares inclusos em sessão única (algo rotineiro em consultório de cirurgiões buco-maxilo-faciais). Neste caso, a dose máxima pode ser atingida ou excedida caso o cirurgião não tenha o conhecimento prévio de quanto anestésico pode ser administrado com segurança. Nessa situação, é importante calcular a dose de anestésico a ser administrada no paciente.


O principal grupo potencialmente vítima de superdosagem são os paciente pediátricos. Você precisa fazer restaurações profundas no arco inferior em um paciente de 17Kg usando mepivacaína 3% sem vaso. A dose máxima, de acordo com o peso, será 2 tubetes. Caso você tenha falhas anestésicas durante o bloqueio do nervo alveolar inferior (o que não é raro) e precise reanestesiar você pode exceder a dose máxima caso não saiba previamente desses limites.


Podemos dizer então, que é importante que todo cirurgião dentista saiba realizar o cálculo de dose máxima. Porém, a necessidade de realizar o cálculo vai depender do peso corpóreo do paciente (pacientes de baixo peso recomendo fazer o cálculo) e de acordo com o procedimento (em múltiplos quadrantes, seja cirúrgico ou não, também recomendo fazer a cálculo).


Lembre-se de que o emprego de soluções anestésicas mais concentradas a 3% ou 4% aumentam a possibilidade de superdosagem. No vídeo abaixo você vai aprender o passo-a-passo para calcular a dose máxima de maneira bem simples e direta.






430 visualizações